/* Google Analytics */ /* Google Analytics */

quinta-feira, janeiro 31, 2008

O Rei pergunta: "CNBB, por que não te pronuncias?"

3 comentários ###

Não bastasse o silêncio costumeiro, agora temos de enfrentar casos de notas mutantes vindas da CNBB.

O texto do preâmbulo da nota ontem (30/01/2008) era o seguinte:

"Comissão da CNBB afirma que pílula do dia seguinte é moralmente inaceitável quarta: 30 de janeiro de 2008 Em nota assinada pelo bispo auxiliar do Rio de Janeiro, dom Antônio Augusto Dias Duarte, nesta quarta-feira, 30, a Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB condenou a pílula do dia seguinte, classificando-a como "moralmente inaceitável". Médico e membro da Comissão, dom Antônio explica que a pílula do dia seguinte é abortiva. "Trata-se de um recurso usado para interceptar o desenvolvimento do concepto após uma relação sexual dita "desprotegida", isto é, quando não foi usado um método anticoncepcional e se supõe que houve uma fecundação e o início de uma gravidez", explica a nota. Na nota, a Comissão manifesta também apoio ao arcebispo de Olinda e Recife que recorreu à justiça contra a decisão da Prefeitura de Olinda de distribuir a pílula do dia seguinte nos dias de carnaval. Abaixo, segue a íntegra da nota."

Hoje (31/01/2008) o texto está assim:

"Nota do médico e bispo auxiliar do Rio de Janeiro sobre a pílula do dia seguinte quarta: 30 de janeiro de 2008 O médico e bispo auxiliar do Rio de Janeiro, dom Antônio Augusto Dias Duarte, emitiu uma nota, nesta quarta-feira, 30, na qual afirma que a pílula do dia seguinte é abortiva e, por isso, “moralmente inaceitável”. Membro da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB, dom Antônio explica que a pílula é “um recurso usado para interceptar o desenvolvimento do concepto após uma relação sexual dita “desprotegida”, isto é, quando não foi usado um método anticoncepcional e se supõe que houve uma fecundação e o início de uma gravidez”. Na nota, que tem a concordância da CNBB, dom Antônio manifesta também apoio ao arcebispo de Olinda e Recife que recorreu à justiça contra a decisão da Prefeitura de Olinda de distribuir a pílula do dia seguinte nos dias de carnaval. Abaixo, segue a íntegra da nota."


Resumindo, a "Comissão da CNBB afirma (...)" tornou-se "Nota do médico e bispo auxiliar (...)". O que era a palavra de uma Comissão envolvida diretamente com o assunto tornou-se apenas a palavra de um bispo que é membro desta Comissão.

E também o "a Comissão manifesta também apoio ao arcebispo de Olinda e Recife" transformou-se em "Na nota, que tem a concordância da CNBB".

A CNBB concorda com o que mesmo? Com o conteúdo da nota? Ou apenas com o apoio ao bispo, sem entrar em detalhes quanto ao conteúdo?

Por que o presidente da CNBB não assinou a nota? Não é este um assunto relevante, que mereça atenção redobrada? Não estamos falando de vidas inocentes que irão parar em privadas? Não estamos falando de uma política desprezível implementada por um governo execrável?

Como bem lembrado por Wagner, quando do caso do Bispo de Barra-BA, Dom Cappio, assinaram o presidente, o vice-presidente e o secretário-geral da entidade. Esta tropa toda para eufemisticamente chamar de "
jejum e a oração" ao que era claramente uma greve de fome, um atentado contra a própria vida.

Será que a questão não é ao menos igualmente importante?

"CNBB, por que não te pronuncias?"

quarta-feira, janeiro 30, 2008

Um bispo fala. CNBB silencia. (Era: CNBB junta-se aos bons!)

2 comentários ###
Meu amigo Wagner abordou fartamente em seu excelente blog a questão do corajoso Arcebispo de Recife e Olinda, D. José Cardoso Sobrinho:

Felizmente, a CNBB, após uma estranha demora, houve por bem prestar apoio ao bom bispo. Um surpreendente e bem-vindo apoio! (Infelizmente, isto não é verdade. Fiz uma leitura rápida da nota e errei. Ver "Atualização" abaixo.)


Abaixo, segue a nota divulgada pela CNBB, e que pode ser lida aqui.


ATUALIZAÇÃO!

Conforme alertado pelo amigo Wagner (ver comentários desta entrada), a CNBB não se pronunciou. Quem assina a nota é o Bispo-Auxiliar do Rio de Janeiro, D. Antonio Augusto Dias Duarte. E só. Não há assinatura do presidente, do secretário-geral e nem mesmo do presidente da Comissão para Vida e Família, da qual D. Antonio é membro.

Louvemos a coragem e solidariedade de D. Antonio, que não se calou e deu amplo apoio a D. José Cardoso Sobrinho.

E a CNBB? Mal, muito mal...


***

Comissão da CNBB afirma que pílula do dia seguinte é moralmente inaceitável
quarta: 30 de janeiro de 2008

Em nota assinada pelo bispo auxiliar do Rio de Janeiro, dom Antônio Augusto Dias Duarte, nesta quarta-feira, 30, a Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da CNBB condenou a pílula do dia seguinte, classificando-a como “moralmente inaceitável”. Médico e membro da Comissão, dom Antônio explica que a pílula do dia seguinte é abortiva. “Trata-se de um recurso usado para interceptar o desenvolvimento do concepto após uma relação sexual dita “desprotegida”, isto é, quando não foi usado um método anticoncepcional e se supõe que houve uma fecundação e o início de uma gravidez”, explica a nota.

Na nota, a Comissão manifesta também apoio ao arcebispo de Olinda e Recife que recorreu à justiça contra a decisão da Prefeitura de Olinda de distribuir a pílula do dia seguinte nos dias de carnaval. Abaixo, segue a íntegra da nota.


Nota à imprensa

A intervenção do Arcebispo de Recife e Olinda, Dom José Cardoso Sobrinho, na questão da distribuição da pílula do dia seguinte pelo poder público no âmbito de sua Arquidiocese tem suscitado uma polêmica em nível nacional, e merece um adequado esclarecimento.

Em primeiro lugar, qualquer tipo de pílula anticoncepcional é um fármaco, que pode ter efeitos colaterais prejudiciais ao organismo da mulher, e seu uso deve ser acompanhado com adequados critérios clínicos, e mediante receita médica.

Dentre os anticoncepcionais, a assim chamada pílula do dia seguinte – também denominada contracepção de emergência – apresenta o agravante de ser abortiva. De fato, trata-se de um recurso usado para interceptar o desenvolvimento do concepto após uma relação sexual dita “desprotegida”, isto é, quando não foi usado um método anticoncepcional e se supõe que houve uma fecundação e o início de uma gravidez.

Para interceptar o concepto, essa pílula deveria ser ingerida dentro das primeiras 72 horas após a relação sexual que se presume tenha sido durante o período fértil da mulher e que tenha ocorrido a fecundação.

Na composição dessa pílula estão presentes os hormônios femininos estrogênio e progesterona em altas doses, segundo o protocolo de Iuzpe, e eles têm a função de alterar as fases do desenvolvimento da parede uterina (endométrio), impedindo assim a nidação (ou seja, a fixação no útero materno) da pessoa recém-concebida. O uso desses hormônios em alta dose pode acarretar sérias complicações à saúde da mulher, como os tromboembolismos. Além disso, sua ingestão nas primeiras 72 horas após a concepção provoca, na verdade, um aborto químico, tão gravemente imoral quanto o aborto cirúrgico. Por tudo isso, o uso da pílula do dia seguinte é moralmente inaceitável, ainda mais quando sua distribuição é feita de maneira indiscriminada e com o uso do dinheiro público.

Dom José Cardoso Sobrinho é movido por zelo pastoral e por fundamentadas motivações éticas, e sua iniciativa merece todo o nosso apoio.

Brasília – DF, 30 de janeiro de 2008.

Dom Antonio Augusto Dias Duarte

Médico, Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro e membro da

Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família, da CNBB

terça-feira, janeiro 29, 2008

Lorraine Allard, mãe.

3 comentários ###
Lorraine Allard. Guardemos este nome.

Não, ela não é uma adolescente talentosa que irá estourar nas paradas dentro de pouco tempo. Tampouco sua imagem estará estampada em revistas de fofoca. Ninguém correrá para as bancas de jornal para saber de suas últimas peripécias...

Lorraine Allard. Guardemos este nome.

Ela já não está mais entre nós. Lorraine faleceu em 18 de janeiro passado aos 33 anos de idade, vítima de câncer.

Dois meses antes, no dia 18 de novembro, Lorraine deu à luz seu quarto filho, o primeiro homem, Liam, que chegou a este mundo após apenas 25 semanas de gestação.

Lorraine soube que estava com câncer no fígado em estágio avançado às 16 semanas de gestação. Ela e seu marido Martyn ficaram devastados com a notícia. Quem não ficaria? Quem não olharia para os céus e perguntaria: "Por quê?"

Os médicos de Lorraine a aconselharam a abortar e começar imediatamente a quimioterapia.

Solução humana. Solução fria, calculada. Para Lorraine, solução errada.

"Se eu morrerei, meu bebê deve viver!"

Estas foram as palavras de Lorraine. Lorraine quis esperar o máximo possível para que seu bebê tivesse mais chances ao sair de seu ventre. Lorraine recusou tratamento quimioterápico até dar a luz.

Liam chegou até nós por parto natural devido a Lorraine entrar em trabalho de parto 1 semana antes da cesareana agendada. Logo após o nascimento de Liam, Lorraine iniciou o tratamento contra o câncer.

Enquanto Liam ficou no hospital na incubadora, Lorraine ficou em casa, em tratamento. Devido a isto, ela pôde ver seu filho apenas 4 vezes após o parto. Cada encontro foi uma benção para Lorraine, para Liam, para Martyn, para suas filhas maiores, para todos nós.

Foi em um destes encontros que estas fotos foram tiradas. O sorriso de Lorraine diz tudo. Ela sabia que segurava em seus braços uma dádiva. Liam ainda não tem consciência da dádiva que ele teve no início de sua vida.

Olhemos para o rosto de Lorraine... Onde está a dor? Onde o câncer? Onde o absurdo da morte? Onde está o vazio que tantos propagam?

"Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?" (1Cor 15:55)

Lorraine Allard. Mãe.


---
Fontes:
1) Fox News
2) Daily Mail

sexta-feira, janeiro 25, 2008

Concílio Vaticano II e o aborto

1 comentários ###

Por que é tão necessário que a CNBB e os bispos brasileiros dêem aos fiéis uma clara declaração sobre a natureza de certas entidades? Porque, se assim não o fizerem, haverá, como já há muitos, católicos que imaginam que ser favorável ao aborto é uma questão íntima e que um católico pode em boa consciência ser favorável ao mesmo.

Não é questão de debate que a vida humana começa na concepção e tampouco é questão de debate que a Igreja sempre foi contrária ao aborto, a despeito do que muitas entidades abortistas que tentam confundir os fiéis andam falando por aí.

Uma declaração firme sobre este assunto importantíssimo é necessária, por exemplo, para lembrar a certos religiosos que ainda pensam que chamar uma militante pró-aborto para conversar é ser "democrático", que está tudo bem.

O pior é que a Igreja tem que ficar martelando o mesmo prego várias vezes...

O pessoal da Teologia da Libertação, aqueles que acham que a Igreja só passou a valer mesmo após o Concílio Vaticano II, aqueles que advogam que houve uma ruptura purificadora na Igreja e na Tradição, curiosamente esquece as palavras duríssimas deste Concílio sobre o aborto:

"Com efeito, Deus, senhor da vida, confiou aos homens, para que estes desempenhassem dum modo digno dos mesmos homens, o nobre encargo de conservar a vida. Esta deve, pois, ser salvaguardada, com extrema solicitude, desde o primeiro momento da concepção; o aborto e o infanticídio são crimes abomináveis. (...)" - Gaudium et Spes, 51.

Que tipo de conversa democrática pode haver com quem luta para que "crimes abomináveis" sejam liberados?

Que tal perguntar à Verbo Filmes?

Reinaldo Azevedo entra na parada

1 comentários ###

Pois é... A CNBB e a Verbo Filmes continuam silenciando sobre o polêmico DVD da Campanha da Fraternidade de 2008.

A CNBB nada disse publicamente. Apenas através de mensagem do Pe. Geraldo Martins ao pessoal do Veritatis limitou-se a dizer o óbvio, o que todos já sabemos há muito: houve ordem de recolhimento da 1a. edição do DVD.

Os Verbitas, nem isto. Cuidaram apenas de telefonar para Dulce Xavier para pedir desculpas. Aos católicos que deveriam ser o seu foco de atuação, nenhuma resposta.

E não é que este assunto insiste em não morrer? Agora foi aparecer simplesmente no blog brasileiro de maior audiência: o blog do jornalista Reinaldo Azevedo.

Eis alguns trechos do que ele escreveu sobre a polêmica:

"(...) Na segunda quinzena no mês passado, apareceram nas livrarias de todo país um DVD sobre a Campanha da Fraternidade, esta mesma que condena, de forma peremptória, o aborto. O trabalho foi produzido pela Verbo Filmes e traz o logotipo da CNBB. Não é que há lá um depoimento de quase cinco minutos da sra. Dulce Xavier, membro de um grupo intitulado Católicas pelo Direito de Decidir (CDD)? Ela critica duramente a Igreja Católica por não aceitar a anticoncepção e faz a defesa do legalização do aborto."

"O que me parece estupidamente surpreendente é que o suposto “direito ao contraditório” — e, pois, a defesa do aborto — esteja presente justamente numa peça de divulgação da Igreja que tem o objetivo de... combater o aborto!!! É como se o tal grupo CDD aceitasse, nas suas fileiras, aqueles que são radicalmente contrários às suas teses. A CNBB diz que não foi consultada. Uma nova versão do DVD foi feita — mas a outra continua a circular por aí."

(O artigo completo pode lido aqui)


Pois é... O problema não desaparece. A CNBB escutará agora o clamor dos fiéis católicos?


quinta-feira, janeiro 24, 2008

Salve São Francisco de Sales!

1 comentários ###

Hoje é o dia de São Francisco de Sales, o santo da compaixão. Defensor da única e verdadeira Fé, converteu milhares de calvinistas com a doçura e firmeza de suas palavras.

São Francisco de Sales ensinou-nos a como servir a Deus no dia-a-dia atarefado, mostrou-nos que não há estado de vida que possa nos afastar de Deus, que não é necessário estar em um mosteiro para buscar a santidade, que esta busca está acessível a todos e que é dever do cristão trilhar por este caminho.









Compreendia profundamente a alma humana e sempre tinha uma palavra de incentivo aos pecadores que lutavam contra as más inclinações em busca da santidade. A todos ensinava que as quedas no caminho da santidade deviam servir para que aumentássemos nossa humildade e mais confiássemos no amor de Deus, que é quem nos levanta.

O desânimo, ensinava o grande Santo, Bispo e Doutor da Igreja, é a obra do demônio. Devemos utilizar as quedas como ocasião para fortalecimento de nossos bons propósitos, mas jamais desanimar. Independente de nossas faltas, Deus sempre olha com carinho para suas criaturas e está disposto a perdoá-las quando arrependidas.



Então, tenhamos ânimo! Cristo venceu a morte e nos chama para, junto com ele, entrarmos no Reino de Seu Pai.




Salve São Francisco de Sales!

quarta-feira, janeiro 23, 2008

Um comentário que merece resposta

6 comentários ###

Recebi um comentário anônimo interessante sobre o post anterior, que, de tão interessante, merece uma resposta especial. Merece até uma tradução simultânea para o Inglês desta mensagem, para facilitar o entendimento do comentarista anônimo.

Veio originalmente em Inglês, com erros e tudo:

========================
Hope you "stupid" human understand when your mather get raped and get pregnan later because of RAPE, then i'll see you if you still agains abort...
========================


Traduzindo:

========================
Espero que você, estúpido humano, entenda quando sua mãe seja estuprada e engravide por causa do ESTUPRO, então eu verei se você ainda permanece contra o aborto...
========================



Este é um belíssimo exemplo da delicadeza abortista. É esta delicadeza que impede que o remetente desta bela mensagem entenda que o fruto da concepção, qualquer que seja a forma como ele foi concebido, seja por violência, seja por amor, seja por descuido, é, assim como nós, um ser humano.

Vou colocar em pratos limpos para o fulano entender: sou contra o aborto em qualquer situação.

Isto quer dizer que:
  • Se minha mãe, se viva fosse, sofresse uma tamanha violência e engravidasse, eu me revoltaria contra a violência e exigiria justiça, mas tenha certeza que igualmente eu teria a alegria de ter um irmãozinho ou irmãzinha.
  • Se eu tivesse uma irmã e ela fosse estuprada e engravidasse, eu igualmente exigiria justiça, e adoraria ter um sobrinho ou sobrinha.
  • Se minha esposa sofresse uma violência sexual e engravidasse, além de exigir justiça, eu teria a renovada alegria de criar um filho ou uma filha.
  • Se qualquer de minhas familiares, amigas, conhecidas, desconhecidas, fosse estuprada e engravidasse, eu exigiria justiça e me alegraria porque Deus achou por bem colocar mais uma de suas criaturas entre nós.

Deu para entender, ou será necessário desenhar? E por que isto? Porque a questão do aborto é uma questão "preto-e-branco", ou se é contra totalmente ou se é a favor. Não existe meio termo.

Quando um abortista traz à tona casos limites como o da gravidez decorrente do estupro, não nos enganemos: isto não é devido a uma compaixão por estas mulheres sofredoras de violência; é apenas uma etapa que servirá para sua agenda abortista.

Dúvidas? Vejamos o que escreveu a feminista Leila de Andrade Linhares Barsted citando Danda Prado, no artigo "Legalização e descriminalização do aborto no Brasil - 10 anos de luta feminista", publicado na revista Estudos Feministas vol. 0 n° 0 do 2° semestre de 1992:

"(...) o único valor da proposta de lei sobre o aborto com indicação embriopática (...) a partir do ângulo da integridade e autonomia das mulheres, reside no fato de ampliar o leque de possibilidades de abortamento, como etapa tática para alcançar, dentro de uma estratégia de luta, a liberação mais ampla dos casos permitidos na lei para a interrupção da gravidez."

É isto aí! As feministas pró-aborto, quando brigam por aborto por motivo de estupro ou anencefalia ou outro defeito embrionário, o fazem apenas como "etapa tática" em seu objetivo principal: a liberação total do aborto. Não é compaixão, não é justiça, nada. É apenas cálculo. Um frio cálculo.

O remetente do post acha-se no "direito" de liberar o assassinato de um ser humano por causa do crime de outro. Eu abomino esta idéia e, para mim, quem advoga tal causa torna-se cúmplice de um crime.

Eu e o anônimo remetente estamos em lados opostos. Ele acha que o fruto da concepção pode ser eliminado pela vontade de alguém ou pelo crime de outro. Eu não. Eu sei que o fruto da concepção é um ser humano como outro qualquer e deve ser preservado.

Assessoria da CNBB diz o óbvio

2 comentários ###

O mais impressionante em toda esta confusão sobre o DVD da Campanha da Fraternidade é que quem deveria lhe dar a devida importância, não está ligando muito para o assunto. Vamos ao fatos escandalosos:

  • Uma conhecida militante pró-aborto gravou um depoimento para ser divulgado no DVD;
  • Este depoimento foi dado a convite da Verbo Filmes;
  • A Verbo Filmes é de propriedade dos Missionários do Verbo Divino, uma congregação católica;
  • Este DVD foi comercializado com o nome da CNBB e, em sua capa, constava a mesma imagem constante do cartaz oficial da CF 2008;
  • Mesmo após a ordem da CNBB para o recolhimento da 1a. edição, no qual constava o depoimento de Dulce Xavier, militante pró-aborto, o produto ainda podia ser comprado livremente em várias livrarias católicas;
  • A CNBB até o momento não deu qualquer declaração pública sobre o assunto;
  • A Verbo Filmes até o momento tampouco deu satisfação aos fiéis católicos. Muito pelo contrário, quando todo este assunto veio à tona, o Sr. Nelson Tyski e "um outro padre" verbita, segundo as palavras da sra. Dulce Xavier, apressaram-se em ligar para a militante pró-aborto para pedir desculpas por serem obrigados a retirarem seu depoimento do DVD.

Sim, a CNBB, apesar de todos estes fatos escandalosos e que são, claro está, uma verdadeira sabotagem da CF 2008, não achou por bem emitir uma única nota aos fiéis católicos sobre o ocorrido, nem mesmo para alertar aos que inadvertidamente compraram a 1a. edição da obra produzida pela Verbo Filmes.

Tivemos acesso a uma carta enviada pelo Pe. Geraldo Martins, da assessoria de imprensa da CNBB, ao pessoal do Veritatis que havia encaminhado uma carta à CNBB cobrando providências sobre o assunto. Eis o texto da mensagem (o original e a resposta do Veritatis pode ser lido em http://www.veritatis.com.br/article/4717):


==================================================

De: "Pe. Geraldo Martins Dias - Assessoria de Imprensa CNBB"

Para: Alessandro Lima

Data: 15/01/2008 14:14

Assunto: RES: Sobre a participação da Sra. Dulce Xavier (Católicas pelo Direito de Decidir) em DVD da CF2008


Caro professor Alessandro,
paz no Senhor!

De fato, a Verbo Filmes produziu um DVD sobre a CF-2008 no qual incluiu a palavra do movimento Católicas pelo Direito de Decidir. O vídeo não é iniciativa da CNBB e não faz parte do material oficial da CF-2008. Tal como a Verbo Filmes, vários Regionais, Dioceses, Congregações, Editoras e Produtoras de Rádio e TV católicas também produzem subsídios, não só para a CF, mas para os diversos momentos do Ano Litúrgico. Todos têm autonomia para isso desde que deixem claro não se tratar de material oficial da CNBB.

No caso do vídeo da Verbo Filmes, tão logo soube do ocorrido, o secretário geral da CNBB, dom Dimas Lara Barbosa, solicitou à produtora o recolhimento do material comercializado, uma vez que o vídeo comprometia a CNBB por trazer sua logomarca. A Verbo Filmes fez, imediatamente um recall e produziu uma segunda edição, sem o referido conteúdo.
====================================================

Cabe agora perguntar: é esta a posição oficial da CNBB? É apenas isto que esta entidade julga necessário dizer sobre este assunto?


Uma produtora de vídeo envolve a CNBB e a Igreja em um escândalo e a CNBB acha que o problema foi resolvido apenas com a produção de uma 2a. edição? Não é necessária a apuração de responsabilidades? Não é necessária uma satisfação aos fiéis?


Há autonomia para que vários outros entes produzam "subsídios" para a Igreja no Brasil sem que haja o mínimo de controle da qualidade do que é produzido?


O que poderia nos levar a pensar que isto não se repetirá?
Das palavras do Pe. Geraldo podemos tirar que se a Verbo Filmes simplesmente tivesse retirado o logo da CNBB, tudo ficaria bem e a propagando pelo aborto poderia ser feita livremente.

Sabemos que a CNBB não tem autonomia sobre as decisões da Verbo Filmes e dos Missionários do Verbo Divino, mas não caberia que a entidade pressionasse esta congregação e sua produtora de vídeo para saber os motivos do convite feito a uma militante pró-aborto a ser veiculado em um DVD para uma Campanha da Fraternidade? Não caberia que a CNBB publicamente mostrasse sua insatisfação com o acontecido e cobrasse, também publicamente, à Verbo Filmes e aos Missionários do Verbo Divino os devidos esclarecimentos sobre todo o assunto?


A CNBB não preza pela qualidade das iniciativas que levam seu logotipo, apenas atuando quando este se mostram insatisfatórios - para dizer o mínimo?

***

Ou seja, há inúmeras questões a serem respondidas tanto pela CNBB quanto pela Verbo Filmes e pela Congregação do Verbo Divino. Até o momento não há uma mísera tentativa de esclarecimento de toda esta confusão. A mensagem do Pe. Geraldo é completamente insatisfatória... Nada apura, nada justifica, nada esclarece. Limita-se a dizer o óbvio: que os DVD da 1a. edição foram recolhidos.

Isto todos já sabemos.

Isto é o óbvio.

terça-feira, janeiro 22, 2008

É assim que se faz! 2

0 comentários ###
Há bispos que não se calam diante do avanço do mal. O Bispo Fabian Bruskewitz, da diocese de Lincoln, Nebraska (EUA) é um destes bispos.

Ao ver que certos grupos assediavam seu rebanho para criar confusão e desviá-los do bom caminho, o zeloso pastor não teve dúvidas: emitiu declaração deixando claro que quem faz parte de tais grupos ou organizações encontra-se, automaticamente e por este simples fato, em interdição, o que impede de receber a Sagrada Comunhão.


Se há insistência em permanecer no erro, a excomunhão é automática, pelo simples fato de insistir em fazer parte destas organizações contrárias à Igreja.

São duras as palavras do bom bispo? Não! São justas. Justíssimas! Nosso Senhor Jesus Cristo já nos avisava que não podemos servir a dois senhores. Um católico deve estar ao lado da Santa Igreja, fundada por NSJC, e não contra ela ou tentando corroer-lhe as bases.

Abaixo, segue uma tradução da declaração do bispo, dada em 1996.


***


Legislação extra-sinodal Bispo Fabian Bruskewitz
(Original em:
http://www.ewtn.com/library/BISHOPS/BRUSKWTZ.HTM

========================

Declaração dada pelo Bispo Fabian Bruskewitz (publicada no "Southern Nebraska Register", 22/03/1996)

Todos os católicos pertencentes à Diocese de Lincoln, ou que nesta estejam, estão proibidos de serem membros das organizações e grupos listados abaixo. Associar-se com estas organizações ou grupos é sempre perigoso à Fé Católica e na maioria das vezes totalmente incompatível com a esta mesma Fé.
  • Planned Parenthood (*)
  • Society of Saint Pius X (**)
  • Hemlock Society (***)
  • Call to Action (****)
  • Call to Action Nebraska (****)
  • Saint Michael the Archangel Chapel (**)
  • Freemasons (*****)
  • Job's Daughters (*****)
  • DeMolay (*****)
  • Eastern Star (*****)
  • Rainbow Girls (*****)
  • Catholics for a Free Choice (*) [Católicas pelo Direito de Decidir]
Qualquer católico pertencente à Diocese de Lincoln, ou que nesta esteja, que filie-se ou permaneça filiado em qualquer das organizações ou grupos acima listados após abril de 1996, estarão, por este simples fato (ipso facto latae sententiae), sob interdição e estarão absolutamente proibidos de receber a Sagrada Comunhão. A contumaz persistência em tal filiação por 1 mês após o interdito por parte de qualquer católico causará, por este simples fato (ipso facto latae sententiae), a sua excomunhão. A absolvição destas censuras eclesiásticas é "reservada ao bispo".

Esta notificação, quando publicada no "Southern Nebraska Register", é um aviso canônico formal.

Por mandato do Reverendíssimo Bispo de Lincoln.

Reverendo Monsenhor Timothy Thorburn - 19/03/1996.


***

Notas:
(*) - Grupos promotores da liberalização do aborto.

(**) - Grupos Lefebvristas.
(***) - Grupo pró-eutanásia.
(****) - Grupo
heterodoxo ultra-liberal.
(*****) - Maçonaria e grupos afiliados.


segunda-feira, janeiro 21, 2008

É assim que se faz!

1 comentários ###
Enquanto os católicos brasileiros não recebem uma mísera declaração sobre a confusão da sabotagem do DVD da Campanha da Fraternidade de 2008, cujo tema é "Escolhe, pois, a vida", em San Francisco, EUA, houve uma grande manifestação pró-vida no último sábado, dia 19.

Todas as imagens foram retiradas, com a devida permissão de seu proprietário, a quem agradeço muitíssimo, do excelente blog "The cafeteria is closed".


Aqui vemos um pouco da extensão da passeata. A estimativa foi de que 30.000 pessoas compareceram e mostraram a força do movimento pró-vida.



Bem ao contrário da propaganda abortista, o movimento pró-vida atinge em cheio às mulheres jovens!




Uma coisa raríssima de se ver no Brasil: frades dominicanos pró-vida. E de hábito! Quem souber de qualquer coisa parecida, favor enviar foto.





Uma freirinha da congregação "Sisters of Life". Maria, modelo de vida!



Oito bispos estiveram presentes à passeata! Por lá, onde o aborto é legalizado, não há espaço para silêncio.


É lamentável que nós, brasileiros, que ainda temos legislação que protege os não-nascidos (embora não totalmente), ainda damos excessivo espaço àqueles que investem contra a dignidade humana.

É lamentável que setores da Igreja advoguem uma suposta necessidade de ouvir a parte contrária a pessoas que frontalmente vão contra a Sã Doutrina e relativizam o direito mais fundamental de todos: o direito à vida.

Ainda o silêncio

0 comentários ###



A confusão com o DVD da Campanha da Fraternidade de 2008 deixa-nos ver até que ponto vai a infiltração na Igreja de pessoas que tem agenda contrária aos seus objetivos. Uma militante pró-aborto gravar depoimento a ser divulgado em um DVD cujo tema é a luta pela vida é de um absurdo que foge a qualquer análise.


E este absurdo é mais um dos sintomas de que a situação vai bem grave.

O fato de representantes da Verbo Filmes, segundo mensagem da própria Dulce Xavier, ligarem para a militante desculpando-se, mostra-nos a quem estes pensavam em desagravar. Para eles, claro está, as vítimas são as "Católicas pelo Direito de Decidir".

Até o momento, não se sabe de declaração da Verbo Filmes ou dos Verbitas sobre o assunto. Ou seja, eles correm para o telefone para humildemente pedir desculpas a quem sistemática e frontalmente vai contra a Doutrina da Igreja e nem se dão ao trabalho de emitir uma nota ou até mesmo colocar uma mensagem em sua página na internet sobre o episódio lamentável de que foram protagonistas.

Os pró-vida brasileiros, os católicos em geral, aguardam algum pronunciamento sobre este verdadeiro escândalo.

domingo, janeiro 20, 2008

Dulce quer debater!

1 comentários ###

Ainda segundo uma entrada na página do "Mulheres de Olho", eis o que disse Dulce Xavier sobre o fato de sua declaração ter sido retirada do DVD da Campanha da Fraternidade de 2008:

"É uma pena que mais uma vez o setor conservador fundamentalista não permita o debate. O grande problema é a ausência do debate. Eu acho que numa democracia é importante que todas as pessoas possam veicular o seu pensamento. Isso tem que ser considerado e veiculado o pensamento de todos os grupos. Uma campanha da fraternidade com apenas um lado da questão é um imposição.”

Dulce Xavier quer debate! Ela quer debater o quê, exatemente? A possibilidade de a Igreja dizer "Amém!" para sua agenda legalizadora do aborto? A possibilidade de a Igreja dar um "Ok!" para que crianças sejam jogadas fora devido à simples vontade de suas mães? Ou será que ela quer debater um fato que a própria ciência já deixou bem claro: que o fruto da concepção é um ser humano único?

Dulce Xavier quer debater! Mas em nada se importou em, junto com o Sr. Nelson Tyski, longe dos olhos de boa parte da alta hierarquia da CNBB, gravar declaração a ser inserida em um DVD que serviria a uma campanha contra o aborto.

Pois é... Dulce Xavier quer debate, mas o quer apenas segundo seus próprios termos, desde que a voz dela seja a que fala mais alto. Ela cobra transparência, democracia, etc., mas apenas segundo seus parâmetros. Ela diz que "numa democracia é importante que todas as pessoas possam veicular o seu pensamento", querendo, com isto, dizer que é seu direito declarar o que quer que seja em um DVD da CNBB.

É muito peculiar a visão de Dulce Xavier sobre democracia... Tira-se de suas palavras que qualquer coisa que a CNBB vá publicar sobre o aborto tem antes que passar pelo crivo das CDD. Este é o mundo cor-de-rosa da feminista Dulce Xavier! Para ela, a CNBB é muito má quando retira sua declaração do DVD, mas e a recíproca? Há algum espaço para a CNBB ou quem quer seja dizer algo que não esteja concordância com o pensamento das CDD em sua página ou em suas publicações? Não mesmo... E Dulce Xavier incomoda-se com isto? Também não.

E depois ainda quer ser levada a sério.

Mas Dulce Xavier ainda vai mais longe em sua indignação: "Uma campanha da fraternidade com apenas um lado da questão é um imposição." Aqui Dulce Xavier dá uma de "Poliana" e pensa que tudo o que os outros fazem diz respeito a ela, que ela e sua agenda são os parâmetros segundo os quais o mundo gira.

Aprenda, Dulce: a Campanha da Fraternidade de 2008 foi feita para lutar exatamente contra as idéias que a senhora e seu grupo inundam diariamente a mídia. Deu para entender ou precisaremos desenhar?

E não é imposição coisa nenhuma. O objetivo da Campanha da Fraternidade de 2008 é conhecido até por qualquer criancinha. O absurdo seria deixar uma militante pró-aborto participar de um DVD da mesma campanha. Curioso... Não se soube de Dulce Xavier protestar, indignada, quando o governo Lula alijou a CNBB de participar da infame Comissão Tripartite que estudaria a "revisão" (eufemismo para "vamos dar um jeito de liberar!") na legislatura sobre o aborto no Brasil, mas agora ela recorrer a qualquer espaço na mídia para posar de coitadinha.

Pior ainda do que Dulce Xavier querer ser lavada a sério, é ela mesma se levar a sério.

sábado, janeiro 19, 2008

Verbo Filmes + ONG's feministas - Um problema antigo

0 comentários ###

A cada momento vamos descobrindo mais detalhes da união Verbo Filmes/ONGs feministas...

O senhor Nelson Tyski ter convidado uma conhecida militante pró-aborto para dar depoimento que seria divulgado em DVD para a Campanha da Fraternidade de 2008 é apenas a coroação de uma antiga parceria.

Quem diz isto são as próprias feministas. No site "Mulheres de Olho" nossas amigas deixam claro que a colaboração é antiga:

"No movimento de democratização pós Ditadura Militar, nos idos do audiovisual e do videoteipe, a Verbo Filmes já era uma parceira importante de ONGs feministas – e outras –, que possibilitava a reprodução com baixo custo de materiais educativos para serem amplamente distribuídos pelo país. O SOS Corpo, onde trabalhávamos naquele tempo, construiu uma longa relação nesses termos com a Verbo Filmes."

Ou seja, o problema não foi criado agora, é coisa de décadas. É mais um dos problemas que foi nutrido durante anos e anos no próprio seio da Igreja por pessoas que abusaram de sua confiança. Beira o impossível pensar que alguém não sabia das idéias totalmente contrárias à Doutrina de tais pessoas.

Aliás, é bom que se dê voz aos fatos: é impossível mesmo!, como podemos ver em troca de mensagens que estavam disponíveis em lista de acesso público. É bom que se traga novamente o trecho em que Dulce Xavier conta para suas companheiras sobre o desconforto de Nelson Tyski e um padre verbita sobre terem sidos obrigados a retirarem do DVD o depoimento da militante.

"Os verbitas reconhecem a necessidade de ouvir as várias posições sobre o tema, no entanto o Secretário Geral da CNBB declarou que os padres não estão preparados para conduzir este debate com suas comunidades.

O Nelson e outro padre (que não me lembro o nome) pediram desculpas e reforçaram o entendimento deles sobre a necessidade de um debate sobre estas questões, considerando a prática real dos/das católicos. (...)"

Ou seja, Nelson Tyski e um "outro padre" estavam mesmo preocupados é em ficar mal perante as militantes pró-aborto. Eles são favorável ao diálogo! Eles são pluralistas! É bom que se pergunte a ambos se os bebês que forem parar na lata de lixo (quando muito...) também serão chamados à mesa de negociação. Não? E são estas as pessoas que dizem ser as vozes dos oprimidos? São estes que se dizem combatentes contra a injustiça? Que tipo de justiça há em pessoas se reunirem para friamente terminar uma vida humana?

A despeito da vontade de Nelson Tyski e alguns verbitas e outros mais, não há diálogo possível com representantes da Cultura da Morte. Pode ser que certos membros da Igreja não lembrem, mas o mandamento é "Não matarás" e não "Não matarás, mas, após muito diálogo, quem sabe?".

quarta-feira, janeiro 16, 2008

CARTA ABERTA AOS VERBITAS

0 comentários ###

Segue carta aberta à Congregação do Verbo Divino - Verbitas.

Os links para a lista das "Católicas" pelo Direito de Decidir não estão mais funcionando.


***


Revmo. Pe. Miguel Meguime, SVD, superior provincial da Congregação do Verbo Divino (Verbitas):

Na qualidade de fiéis católicos, sob o abrigo do parágrafo 3o do cânon 212 do Código de Direito Canônico, nós vimos expressar a Vossa Reverendíssima nosso repúdio e perplexidade relativamente ao fato de uma empresa controlada por essa Província Verbita, a Verbo Filmes, ter produzido um DVD para distribuição nas igrejas, durante a próxima Campanha da Fraternidade, com a participação da ONG abortista e anticristã "Católicas pelo Direito de Decidir".

Porém, nossa indignação não se cinge a este único fato, que apenas é o mais escandaloso e de nocividade mais perceptível. Quase a metade do DVD, mesmo em sua segunda edição, prestigia figuras que podem ser consideradas, no mínimo, heterodoxas. Vemos nele o sr. Fernando Altemeyer, que há pouco justificava a tentativa de suicídio de d. Luiz Cappio, bispo de Barra, um pecado ainda mais grave que o próprio aborto (ver:

http://blog.estadao.com.br/blog/guterman/?title=fernando_altemeyer_sobre_o_bispo_cappio&more=1&c=1&tb=1&pb=1). Outro é o Frei Carlos Josaphat, OP (ah, os heterodoxos envelhecem!), que contra a lei moral natural e a doutrina bimilenar da Igreja defende o uso de anticoncepcionais e diz que proibir a camisinha é um crime, caluniando como criminoso o próprio Papa (ver:

http://sistemas.aids.gov.br/imprensa/Noticias.asp?NOTCod=62925). Para completar o trio, temos o padre camiliano Léo Pessini, cujas posições sobre aborto e eutanásia são das mais ambíguas, e que é amicíssimo do abortista Volnei Garrafa. O padre Léo Pessini, mesmo não sendo médico, foi um dos responsáveis pela resolução n. 1805/2006, do Conselho Federal de Medicina, que, ao arrepio da Constituição e do Código Penal, relativizou a proteção dispensada a vida humana em seu estágio final. Graças a Deus e ao bom senso da magistratura brasileira, a Justiça Federal suspendeu a resolução homicida que o padre Pessini ajudou a elaborar (ver:

http://www.df.trf1.gov.br/inteiro_teor/doc_inteiro_teor/14vara/2007.34.00.014809-3_decisao_23-10-2007.doc ). Ainda há juízes no Brasil, pena que os autênticos sacerdotes e religiosos sejam tão poucos!

É impressionante, mas parece que para participar do DVD da Campanha da Fraternidade em Defesa da Vida é preciso ser heterodoxo, contestador do Sagrado Magistério da Igreja, e mais: ter feito algo contra a defesa da vida -- seja apoiando uma tentativa escandalosa de suicídio, seja difamando a moral sexual decorrente da natureza humana e defendida pela Igreja, seja ainda participando de procedimentos em corporações profissionais para a edição de normas contrárias ao direito natural, à Constituição do País e às leis penais.

E o pior é que isso é feito havendo tanta gente boa no Brasil, capaz de fazer uma defesa da vida muito melhor que o citado trio. Por que não se entrevistou o padre Luiz Carlos Lodi da Cruz, verdadeiro ícone da luta pela vida no Brasil, sempre firme apesar das duras perseguições que sofreu, que são conhecidas de todos? Por que não foi convidada a Dóris, dirigente da Associação Mulheres pela Vida, que tem um brilhante trabalho de atendimento às gestantes na Baixada Fluminense? Por que não foram ouvidos D. Estêvão Bittencourt, o padre Paulo Ricardo de Azevedo Jr. ou o professor Felipe Aquino, teólogos que são da mais escrupulosa fidelidade ao Sagrado Magistério? E o prof. Dalton Ramos, docente da USP e membro da Pontifícia Academia para Vida? Por que não zelosos representantes da hierarquia, como os bispos D. Aldo Pagotto, D. Eusébio Cardeal Scheid ou D. Roque Opperman, só para ficar em três exemplos? Tantos advogados católicos que poderiam ter feito um papel brilhante no esclarecimento dos aspectos jurídicos da questão, como os doutores Cícero Harada, Ives Gandra e Paulo Leão. Se não se queria limitar-se às portas da Igreja, e ouvir também não católicos, por que não foram convidados o advogado Celso Galli Coimbra, um dos maiores especialistas brasileiros em Biodireito, ou o escritor protestante Júlio Severo? E essa lista é meramente exemplificativa, pois são inúmeros os que, dentro ou fora da Igreja católica, travam o bom combate pela defesa dos valores da vida e da família no Brasil.

Tanta gente boa, por que foram chamar logo pessoas de ortodoxia duvidosa? A Igreja Católica no Brasil comporta uma multifária variedade de movimentos engajados na nova evangelização: o Movimento Sacerdotal Mariano, a Renovação Carismática, os Arautos do Evangelho, a Opus Dei, o Caminho Neocatecumenal, os Focolares e muitos outros. É nesses movimentos que mais bem se percebe a vitalidade do catolicismo no Brasil. Porém, a estrutura burocrática da Igreja continua dominada pela mesma panelinha exclusivista: a oligarquia esclerosada e rançosa da Teologia da Libertação, que mais adequadamente seria referida como "Ideologia da Falsa Libertação". Essa, como um cadáver insepulto, continua com seus miasmas a contaminar e viciar todas as iniciativas sadias que são feitas dentro da Igreja em prol do Evangelho da Vida, do Amor e do Trabalho. São incapazes de qualquer bem, mas sempre eficientes em obstá-lo, como se constata do affaire que estamos discutindo. Deles pode ser dito o que Nosso Senhor disse dos fariseus: «Ai de vós que fechais o Reino dos céus aos homens, pois nem vós entrais, nem deixais entrar os que o querem» (Mt 23,13).

Finalmente, é a presente para requerer a punição, preferencialmente com a demissão, do Sr. Nelson Tyski, funcionário da Verbo Filmes e responsável direto pelo convite feito às "Católicas pelo Direito de Decidir" para fazer sua propaganda abortista no DVD da Campanha da Fraternidade, como se comprova pelas seguintes ligações:

http://br.groups.yahoo.com/group/cdd-br/message/1906

http://br.groups.yahoo.com/group/cdd-br/message/1917

É um absurdo e um escândalo que este senhor, intimamente ligado a uma organização anticristã e abortista, continue trabalhando na empresa que produz vídeos para CNBB. Omitir-se e não tomar nenhuma providência é preparar a repetição desse vergonhoso acontecimento. E é tornar-se cúmplice de seus delitos.

Atenciosamente,

Rodrigo R. Pedroso

Emanuelle Carvalho Moura

William Murat.

terça-feira, janeiro 15, 2008

Eis o deus das Católicas pelo Direito de Decidir!

3 comentários ###

Uma navegada pela lista das CDD e podemos ver o quão profunda é sua espiritualidade. Em meio às mensagens amigáveis, nas quais muitas vezes elas se chamam pelo singelo nome de "coléguas", vamos adentrando no mundo Zen-Abortista.

É uma experiência sem par, coisa para iniciados mesmo. O "direito" de decidir sobre a vida de um outro ser deve elevar a alma a picos nunca antes alcançados.

Um vislumbre desta espiritualidade à flor da pele é o que podemos ver quando lemos a mensagem abaixo:

"Teríamos que avaliar se, no caso da ABIA ter interesse em manter seu nome nisso, se teriam recursos para pagar o trablaho da Renata. Nesse caso, não poderíamos manter a frase da parada, i.e., sem "Deus"... já que ele nos atrapalharia financeiramente?! (Quem sabe se nos voltássemos para o Javé judeu, seria dferente a situação?! (Ai! Que maldade, dona Zeca! E ainda mais, preconceituosa e distante do espítio dos diálogos inter-religiosos! Que feio!)"

http://br.groups.yahoo.com/group/cdd-br/message/562

Pois é... O Deus dos católicos -- os reais, não os de mentirinha -- as "atrapalharia financeiramente", é um Deus que não lhes serve. A aliança entre o homem-criatura e seu Deus-criador, para as "Católicas" pelo Direito de Decidir, de nada vale quando se trata de fazer uma aliança com uma outra ONG.

O deus das CDD é um deus que não as atrapalha, que sai de fininho de seu caminho quando o assunto é aborto. É é um deus sem dogmas, um deus que diz Amém a todos os seus desejos e tentam impor ao restante da sociedade. É um deus utilitarista, que apenas resolve os problemas imediatos e sai do caminho. É um deus pragmático, que nada exige.

Em resumo, o deus das CDD é a inversão do Deus dos cristãos, o Deus-criador que se revelou ao homem, sua amada criação, e por quem Ele nos deu Seu amado Filho para nossa salvação.

O deus das "Católicas" pelo Direito de Decidir é um deus que se mostra face a face diariamente, é só saber onde procurar. Ou melhor, é só saber onde arrecadar.

O Deus das "Católicas" pelo Direito de Decidir não é um deus misterioso. Não! De jeito nenhum! Para vê-lo sorrindo, complacente, é só abrir o "sacrário" e ele vem ao encontro de seus fiéis.


Eis o deus das CDD em sua glória!


Que contraste com o Deus dos cristãos, o Deus que as atrapalha financeiramente.

"Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na sua glória, na glória de seu Pai e dos santos anjos." (Lc 9:26)"

Roguem por nós e por seus filhos espirituais, Santo Arnaldo Janssen e São José Freinademetz.

1 comentários ###


Neste 15 de janeiro, a Igreja comemora o dia de Santo Arnaldo Janssen (foto à direita). Sacerdote exemplar, incansável na busca pelo bem das almas e pelo bem da Igreja. O fervor missionário que ardia em seu coração, o levou a fundar a congregação que no Brasil é conhecida como Missionários do Verbo Divino, os Verbitas.

Pobres verbitas! Podemos imaginar a Ira Santa de Santo Arnaldo se ele soubesse o que andam aprontando certos membros de sua congregação. É bom que se deixe claro que temos certeza de que grande parte dos verbitas não compartilham dos, digamos assim, "ideais" de certos membros.

Como já vem sendo divulgado por algumas mensagens e em alguns sites (http://diasimdiatambem.wordpress.com/, do meu amigo Wagner Moura e que faz uma excelente conbertura), foi descoberta a trama que levou ao convite da Sra. Dulce Xavier para dar seu "ponto de vista" em um DVD que seria produzido como material de divulgação para a Campanha da Fraternidade de 2008, cujo tema é "Escolhe, pois, a Vida".

O convite, segundo mensagens trocadas e que podem ser lidas na lista de comunicação das CDD, partiu do Sr. Nelson Tyski, da Verbo Filmes, empresa responsável pela produção do DVD para a CF 2008. Esta empresa é de responsabilidade dos Missionários do Verbo Divino, os Verbitas.

http://br.groups.yahoo.com/group/cdd-br/message/1906
http://br.groups.yahoo.com/group/cdd-br/message/1917
http://br.groups.yahoo.com/group/cdd-br/message/1922

Por esta Santo Arnaldo não esperava... Como ele iria imaginar que seus missionários, que ele com tanto zelo cuidava para que tivessem uma excelente formação, iriam, aqui no Brasil, fazer a triste figura de contribuir contra a causa da Vida?

Na própria página dos verbitas, podemos ler na apresentação da Verbo Filmes:

"O conteúdo de suas produções encontra consonância com as diretrizes da ação evangelizadora da Igreja Católica no Brasil e com o carisma da Congregação do Verbo Divino: a inclusão social dos pobres, a valorização das culturas, a formação popular e a promoção do ecumenismo e da cultura de paz."

Será mesmo que a Verbo Filmes imagina que chamar pessoas favoráveis ao aborto é contribuir para a "ação evangelizadora da Igreja Católica no Brasil"?

Pelo jeito, sim. Após pressão da CNBB para que a declaração de Dulce Xavier fosse retirado do DVD, os verbitas produziram uma nova edição, agora sem a declaração polêmica. Mas podemos ver que o fizeram muito a contragosto. Eis mais uma mensagem retirada da lista das CDD:


http://br.groups.yahoo.com/group/cdd-br/message/2151

Destaco:

"
(...) O DVD é divulgado com o Logo da CNBB e a ordem religiosa, segundo seus responsáveis, não teve alternativa a não ser ceder diante da pressão, apesar de reconhecer a necessidade de considerar outros argumentos além dos "oficiais"."

"Os verbitas reconhecem a necessidade de ouvir as várias posições sobre o tema (...)"

"O Nelson e outro padre (que não me lembro o nome) pediram desculpas e reforçaram o entendimento deles sobre a necessidade de um debate sobre estas questões, considerando a prática real dos/das católicos. E ainda chamaram a atenção para a disputa de poder interna dentro da IC."

É isto aí! Para a Verbo Filmes e certos verbitas, é muito natural que abortistas falem em DVD de uma campanha contrária ao aborto. É muito natural que sejam ouvidos os (pseudo-?) argumentos da parte que quer o "direito" de matar crianças no ventre das mães.

E, como não poderia deixar de ser, os verbitas contactados pelas CDD ainda chamam a atenção para o fato que tudo se deve a uma disputa pelo poder dentro da Igreja. É isto mesmo! Querer impedir que milhões de crianças acabem na lata do lixo virou agora questão de luta de classes, virou apenas um pretexto para uma mesquinha luta pelo poder. E isto após o Papa em tempos recentes ter exortado os católicos a considerar a inviolabilidade da vida humana desde sua concepção até seu fim natural como um princípio inegociável.

Mas há certos verbitas que pensam que o mais correto é negociar com ONGs abortistas, que o ponto de vista delas, que é tão pouco conhecido, merece mais divulgação do que já tem na grande mídia.

Padre Arnaldo Janssen foi canonizado em 5 de outubro de 2003. Na mesma cerimônia, foi também declarado santo Pe. José Freinademetz (foto à esquerda), missionário que se preparou para a dureza da vida missionária em território chinês no instituto recém criado por Pe. Arnaldo.

No próximo dia 28 de janeiro, lembraremos os 100 anos de retorno para a Casa do Pai de São José Freinademetz. Em 2009, será a vez de recordarmos a memória de 100 anos da entrada de Santo Arnaldo no Paraíso.

São datas importantes para a Igreja Católica, são datas importantes para os verbitas. Pena que certos membros da congregação tenham decidido comemorar o centenário de seu santo fundador e de um seu irmão igualmente elevado à glória dos altares de uma forma tão pouco de acordo com o zelo missionário que sempre animou seus santos.

Santo Arnaldo Janssen e São José Freinademetz, rogu
em por nós!
Santo Arnaldo Janssen e São José Freinademetz, roguem por seus filhos espirituais!